Como nasceu o "Ciência a bordo"

Nos tornamos biólogos pela curiosidade e pelo fascínio sobre os fenômenos naturais. Estudamos e ensinamos conteúdos que muitas pessoas, inclusive nós, nunca tiveram ou teriam a oportunidade de testemunhar. E, assim como alguém com espírito aventureiro não fica satisfeito de apenas conhecer e contar a vida de um grande explorador, nós também não nos satisfizemos em apenas repetir o que está nos livros. Em uma tentativa de complementar aquilo que ensinamos e aprendemos nasceu o projeto "Ciência a bordo", fruto de duas paixões: a ciência e a vela.

We have become biologists by curiosity and fascination about natural phenomena. We study and teach content that many people, including us, have never had or would have the opportunity to testify. And the same way someone with an adventurous spirit would not be satisfied only knowing and telling the life of a great explorer, we do not have satisfied ouselves in just repeat what is in books. In an attempt to complement what we teach and learn in our scientific life the project "Ciência a bordo" (Science on board) was born, as a result of two passions: science and sailing.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Espécie da semana


     Essa semana homenageamos o pequeno, mas valente, caranguejo “Uca“, mais conhecido como “Chama-maré”. Os machos desta espécie, que muitas vezes não ultrapassam 1cm de comprimento, possuem uma das “pinças”, ou quelas, muito maior que a outra. Em função disso, essas quelas são denominadas "quela hipertrofiada". Ela permite ao animal realizar disputas territoriais com outros machos e/ou exibir-se para as fêmeas.

     Um dos comportamentos mais evidentes para atrair a fêmea é a repetição de um movimento semi-circular, com a quela maior, na frente do corpo. E é em decorrência desse comportamento que esses caranguejos receberam o nome popular de chama-marés.

    São encontrados em manguezais, praias e estuários ao longo da costa do Atlântico e possuem aproximadamente 100 espécies conhecidas pela ciência.

    Vale a pena observar esses pequenos “gladiadores” com seus gestos elegantes e suas brigas e exibições incansáveis que geralmente se concentram em milhares de indivíduos ao longo da faixa arenosa litorânea.


Sempre Alerta e Bons Ventos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário