Como nasceu o "Ciência a bordo"

Nos tornamos biólogos pela curiosidade e pelo fascínio sobre os fenômenos naturais. Estudamos e ensinamos conteúdos que muitas pessoas, inclusive nós, nunca tiveram ou teriam a oportunidade de testemunhar. E, assim como alguém com espírito aventureiro não fica satisfeito de apenas conhecer e contar a vida de um grande explorador, nós também não nos satisfizemos em apenas repetir o que está nos livros. Em uma tentativa de complementar aquilo que ensinamos e aprendemos nasceu o projeto "Ciência a bordo", fruto de duas paixões: a ciência e a vela.

We have become biologists by curiosity and fascination about natural phenomena. We study and teach content that many people, including us, have never had or would have the opportunity to testify. And the same way someone with an adventurous spirit would not be satisfied only knowing and telling the life of a great explorer, we do not have satisfied ouselves in just repeat what is in books. In an attempt to complement what we teach and learn in our scientific life the project "Ciência a bordo" (Science on board) was born, as a result of two passions: science and sailing.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Naturalista



        Hoje vamos compartilhar um pouco da história de um cientista chamado Edward Osborne Wilson, nascido no Alabama, Estados Unidos, no dia 10 de junho de 1929. Wilson é um renomado biólogo nas áreas de ecologia, evolução e sociobiologia, e muito conhecido por seus debates sobre a sociobiologia. Como reconhecimento do seus trabalhos no meio científico, Wilson obteve diversos prêmios: o prêmio Crafoord, medalha nacional de ciência dos EUA e, nada mais nada menos que dois prêmios Pulitzer, além de ter sido considerado pela revista Time como um dos cientistas mais influentes da América.

        Porém, não é apenas pela sua notoriedade acadêmica que resolvemos escrever sobre esse admirável cientista, mas também pela sua vida inspiradora, fora do meio científico. Lendo sua autobiografia, encontramos algo que gostaríamos de compartilhar com todos os leitores do blog, em especial com os membros no movimento escoteiro: chefes, escoteiros e escoteiras. No livro, Wilson dá um depoimento maravilhoso de quem vivenciou e entendeu o que é ser escoteiro. E, ao invés de descrever nossa interpretação das palavras do autor, resolvemos transcrever diretamente algumas passagens do livro que julgamos serem importantes. As passagens colocadas aqui tratam-se de um convite a reflexão sobre o quanto o movimento escoteiro pode influenciar positivamente a vida de cada um de nós.

        Bom, uma das passagens que mais nos alegrou é relacionada ao método e programa escoteiro, que sempre manteve uma relação direta com a natureza:

“O Handbook for Boys de 1940, que comprei por meio dólar, tornou-se o mais querido de meus pertences. Cinquenta anos depois ainda com renovado prazer releio meu exemplar original anotado. Ricamente ilustrado, com capa de Norman Rockwell, estava cheio de informações úteis sobre os assuntos de que eu mais gostava. Punha ênfase na vida ao ar livre e na história natural: em acampamentos, caminhadas, natação, higiene, comunicação por sinais, primeiros socorros, feitura de mapas e, sobre tudo zoologia e botânica... As escolas públicas e a igreja não tinham me oferecido nada igual. A organização dos Escoteiros legitimava a Natureza como centro de minha vida.”

      Sabemos que existem diversas atividades ao ar livre e que não é necessário ser escoteiro para praticá-las, porém, o que diferencia o movimento escoteiro dessas outras atividades ao ar livre é seu pano de fundo. Nele está inserido um sistema de valores que julgamos serem Universais, e é essa mesma opinião que Wilson enfatiza na seguinte passagem do livro:

“... se hoje estimulo minha memória levantando a mão direita com os três dedos do meio para cima, cruzando abaixo o polegar e o mindinho, ainda sou capaz de recitar o juramento dos escoteiros:

Por minha honra farei todo o possível
Para cumprir com o meu dever com Deus e o meu país
E obedecer a lei dos escoteiros;
Para ajudar o tempo todo outras pessoas;
Para manter-me fisicamente forte, mentalmente alerta e moralmente correto.

Aceitando-as, embebi-me de todas essas palavras. E ainda o faço, por mais ridículo que possa parecer a meus colegas do ramo intelectual...”

Todas as fotos foram retiradas de http://www.achievement.org/autodoc/page/wil2pro-1


Sempre Alerta e Bons Ventos!

Escoteiro "Lis de Ouro"grau máximo do ramo escoteiro
Até hoje um "escoteiro"


2 comentários:

  1. Chefes Cadu e Kaa,

    Imaginem a formiga da ilustração em escala 1:1. Nossa!! Comida de Tambaqui e Pirarucú?! Será que dá um molho?!

    Espero que tudo esteja o melhor possível, de coração. Como não sou muito bom nas letras... ficam os mais altos, honestos e simples pensamentos e sentimentos... incluindo saudades.

    Grande abraço apertado,
    Roberto

    ResponderExcluir
  2. Queridos chefe Cadu e eterna Kaa,

    Sensacional compartilhar essas informações sobre um naturalista que vivenciou o escotismo, assim como vocês o fazem. Quem sabe um dia ainda vamos ler um livro publicado por vocês, contando sobre suas pesquisas, associadas a experiência que tiveram no movimento escoteiro.

    Vivi no Jamboree alguns dos momentos mais marcantes da minha vida, privilegiadamente na companhia de meu filho Erik. Uma emoção indescritível. Gostaria muito que vocês pudessem participar de um Jamboree também, para sentir na pele a grandiosidade de pertencer ao movimento escoteiro mundial.

    Rezo para que durante esse tempo necessário para colocar as coisas em dia, vocês sintam uma enorme vontade de retornar ao movimento, principalmente por sentirem muita falta da nossa convivência no Falcão Peregrino.

    Rezo para que encontrem seus caminhos espirituais, para que prossigam persistentemente na busca da felicidade, através dos ideais de B. P., proporcionando a felicidade a seus irmãos e amigos.

    Rezo para que estejam bem, inspirados, motivados, a vencer diariamente novos desafios, para aprimorarem-se e tornarem-se cada vez mais necessários para o desenvolvimento da humanidade.

    Sentimos muita falta de vocês!!! Por favor, mantenham contato, mesmo que seja mentalmente ou espiritualmente.

    Um forte abraço,

    O Melhor Possível,
    Sempre Alerta Para Servir,

    Akelá e família

    ResponderExcluir